junho 12, 2020

A pesquisa de impacto semanal é uma revisão regular das tendências entre os profissionais da indústria AV profissional, sob a perspectiva da COVID-19.

Pontos a destacar:

  • Embora os impactos de curto prazo ainda sejam percebidos pelos profissionais AV, eles não são mais tão frequentes quanto antes.
  • As empresas ainda estão se preparando para resistir a quedas na receita.
  • As demissões, comparadas às suspensões temporárias, parecem estar aumentando.

Há sinais crescentes de que o setor AV está no caminho de uma recuperação prolongada da COVID-19 e dos desafios econômicos que esse fenômeno trouxe. O faturamento permanece sob crescente pressão e as demissões estão aparentemente aumentando, em contraste com as suspensões temporárias de emprego.

Isso acontece ao mesmo tempo em que várias economias do mundo estão em processo de reabertura e a situação dos trabalhos está gradualmente descongelando. Embora governos de todo o mundo tenham inicialmente implementado restrições, alguns provedores AV conseguiram continuar seus projetos em andamento, graças ao seu papel como trabalhadores essenciais em telecomunicações ou construção. Mas até recentemente, grandes segmentos da sociedade permaneciam praticamente encalusurados, tornando-se apenas uma questão de tempo até que o quadro de declínio geral da atividade econômica alcançasse a indústria.

"Eu mentiria se dissesse que não fomos impactados nas perspectivas de continuar faturando e de poder concluir projetos", disse o líder de uma empresa de integração AV. "Assim que você vê boa parte do país sendo fechada, percebe que você também pode passar por isso."

Outro comentário: “Espero uma desaceleração, porque os projetos foram suspensos. O processo de um projeto geralmente leva de seis a nove meses. Já faz três meses desde que isso começou, então considero que, nos próximos três ou seis meses, as solicitações e propostas diminuirão, porque estão dizendo para a arquitetura aguardar.”

O volume do impacto negativo faz uma pausa

Do lado positivo, os efeitos semanais imediatos da COVID-19 podem ser vistos no lado negativo. Na Pesquisa de Impacto desta semana, realizada em 2 e 3 de junho, 62% dos provedores AV citaram impactos negativos nos últimos sete dias. Ainda é um número considerável, mas representa uma queda em relação aos 66% da semana anterior e contra um pico de 88% no início de abril.

Cerca de 57% dos usuários finais indicaram impactos negativos na semana passada, percentual que se manteve bastante estável em várias pesquisas, mas também está abaixo do pico de 83%, quando a equipe de Inteligência de Mercado da AVIXA começou a perguntar aos membros da Painel de Inteligência AV sobre os efeitos da COVID-19 em seus negócios.

As empresas ainda veem desafios ao longo do caminho. De acordo com um participante do grupo de fornecedores, “...eu acho muito difícil identificar como serão as coisas no futuro, se esse futuro significa amanhã, no próximo ano ou daqui a cinco anos. Muitas das decisões que tomamos no passado sobre como conduzir nossos negócios foram amplamente guiadas pelo que ouvimos de nossos clientes, atuais ou potenciais. Ouvi muito pouco de nossos clientes nos últimos dois meses.”

Alguns visualizam um horizonte distante. "Agora vemos mais clientes voltando", disse um provedor AV, "mas grande parte do planejamento com clientes está agendada para depois de agosto".

Quando questionada sobre sua estimativa de retomar a maior parte dos projetos audiovisuais, a resposta mais comum entre o grupo de participantes (com 19%) é "não até o próximo ano". Ainda assim, 56% disseram estimar a qualquer momento entre julho e outubro.

Entre os usuários finais pesquisados, 25% acreditam que a maior parte do trabalho dos projetos será retomada em julho, provavelmente um reflexo da atual reabertura de várias organizações e instalações. Outros 32% disseram agosto ou setembro.

Existem e sempre houve, é claro, projetos em andamento agora. “Fizemos muitas transmissões ao vivo para igrejas. Também fizemos projetos de videoconferência”, afirmou um fornecedor. "Atualmente, estamos trabalhando com algumas escolas particulares da região que estão prospectando o outono ... E tudo o que já estava em andamento seguiu seu curso de ação".

Tendências de faturamento e pessoal

A proporção de provedores AV que relataram uma queda na receita nos últimos sete dias atingiu 46% nesta semana, o maior recorde para esse indicador. Os fornecedores tiveram uma queda média de 17% nas últimas duas semanas, com as estimativas declaradas mais comuns variando de 6% a 30%.

"Tivemos que conter entregas até que nossos clientes voltem aos negócios", observou um fornecedor. "Portanto, não podemos cobrar deles."

Outro indicador de que o setor pode estar caminhando para um período difícil são as tendências da força de trabalho. O Congresso dos Estados Unidos aprovou recentemente uma legislação que daria às pequenas empresas mais tempo e flexibilidade para gastar os fundos do Programa de Proteção da Folha de Pagamento (PPP). Para alguns, o PPP ajudou a manter a equipe de plantão durante a pandemia, mas um estudo recente da Federação Nacional de Empresas Independentes, publicado pouco antes da aprovação dessa legislação, indicou que 30% das pequenas empresas tinham que cumprir suas obrigações de PPP até 14 de junho.

Simultaneamente, quase 2 milhões de americanos a mais se inscreveram para receber benefícios de desemprego, e o total subiu para mais de 42 milhões na lista de desemprego nas últimas 11 semanas. É difícil imaginar que essas tendências na situação de emprego possam deixar intacto qualquer setor. Até o momento, de acordo com pesquisas de impacto anteriores, os provedores indicaram que suas empresas recorriam amplamente a suspensões, em vez de demissões permanentes, a fim de equilibrar sua equipe de trabalho para superar a pandemia. Mas isso pode estar em processo de mudança.

Quando perguntamos aos participantes qual a porcentagem de redução de pessoal correspondente a demissões permanentes em vez de licenças, nossa análise indicou uma média crescente de 22%, contra 18% na semana passada e 14 % há duas semanas.

No geral, durante toda a pandemia, apenas pouco mais de um terço dos provedores AV relataram consistentemente que suas empresas haviam demitido ou suspendido funcionários em algum momento desse período. Nos últimos sete dias, 13% indicaram que suas empresas aplicaram medidas de redução de pessoal, um indicador de curto prazo que atingiu seu ponto mais baixo em 20 de maio, com 9%.

Um provedor mencionou: “O impacto negativo foi imenso, pois demitimos ótimos funcionários, com famílias dependendo deles. Isso tem sido difícil para nós.”

Segundo outro participante, "estamos tristemente prestes a anunciar outra rodada de demissões temporárias, e nossas projeções iniciais mostraram-se excessivamente otimistas sobre o retorno de projetos geradores de renda".

Mas um terceiro ainda não deu esse passo e é encorajador que a empresa não precise: “Entendemos onde está o nosso equilíbrio. E que se despedirmos alguém e as coisas voltarem ao seu curso habitual, alguém poderá atraí-lo para sua equipe. Portanto, não temos o desejo de reduzir nossa equipe, mas, ao mesmo tempo, não podemos manter as pessoas em sua posição se não tivermos projetos. Comunicamos à nossa equipe que tomaremos as decisões corretas para a empresa, mas isso não foi necessário até agora. ”

Voltando ao trabalho

A maioria dos provedores e usuários finais ainda informa que suas operações estão com capacidade reduzida (com 65% e 78%, respectivamente). A fração de fornecedores que reportaram capacidade total cresceu para 24%, contra 22% no período anterior. Um provedor informou "estar perto de colocar os projetos de volta aos trilhos".

Em contrapartida, 42% dos usuários finais relataram a retomada de projetos nos últimos sete dias, um salto significativo sobre os 35% da semana anterior e 30% há duas semanas. À medida que as economias se abrem, a preparação para voltar ao trabalho é um primeiro passo bastante importante.

"Já estamos analisando como podemos obter um distanciamento social em nossas instalações", disse um usuário final. "Está indo bem suave agora."

Outro mencionado: "Revisamos nossa política antes da COVID-19, que inclui processos de saneamento, temperatura de temperatura para nossos visitantes, uso de telas Perspex, sinalização digital e rotas de mão-única".

Entre os provedores AV, 40% relataram a retomada de projetos na última semana, 45% indicaram mais solicitações e 15% disseram que retomaram as reuniões presenciais (contra 11% da pesquisa anterior). E, apesar da tendência nos números que indicam mais demissões e suspensões, 16% dos provedores disseram que suas empresas contrataram na semana passada.

"Estamos à procura de funcionários", disse o gerente de um integrador AV. “Sinto que o portfólio de talentos foi definitivamente aberto para nós no setor. Mal posso esperar até chegarmos ao ponto de contratar”.

Os resultados da próxima pesquisa serão divulgados em 12 de junho.

Para aqueles que desejam participar da Pesquisa de Impacto Semanal ou em outros estudos realizados pelo Painel de Inteligência de Mercado da AVIXA, solicitamos que se registrem gratuitamente na Comunidade AVIXA Insight através do link https://avip. avixa.org/

Lembramos que a AVIXA possui um espaço com informações atualizadas sobre o assunto da COVID-19 e seu impacto no setor de AV disponível neste link.

Related Topics

Live Events
Business of AV

Related Content