A busca pessoal da boa forma física tornou-se cada vez mais coletiva em uma nova onda de academias especializadas que conectam a saúde à hospitalidade. Nestes espaços energéticos finamente projetados, as comunidades são desenvolvidas juntamente com a força e a resistência físicas.

Juntando a boa forma física e moda em um ambiente projetado para inspirar e capacitar, a academia e butiques da marca SculptHouse estão aumentando em número e em dedicação de uma clientela transformada e satisfeita. Começando com sua primeira unidade em Atlanta e expandindo para novas localidades em um ritmo rápido, a SculptHouse foi criada como um espaço revigorante e acolhedor que reflete a natureza gregária e complacente de sua fundadora e CEO, Katherine Mason.

SculptHouse | AVIXA

Naturalmente inclinada a tornar o fitness menos intimidante e ao mesmo tempo ministrar instruções altamente especializadas, Mason tinha uma visão para a experiência completa da SculptHouse. Os clientes são recebidos com uma vibe multissensorial serena (completa com velas aromáticas cuidadosamente selecionadas) no check-in e por toda a área da butique esteticamente revigorante do lobby. Em seguida, os frequentadores se reúnem entre os bancos em áreas de "transpiração social" cuidadosamente projetadas e equipadas com armários com chaves, carregadores de celulares e bebedouros com água filtrada. Depois, é só começar as aulas. Uma vez que estejam dentro da vibrante academia, os clientes são recebidos com um espetáculo de som e luz totalmente programado que aumenta a energia e mantém o ritmo acelerado.

“É quando a verdadeira experiência começa”, diz Mason. Enquanto os instrutores cumprimentam cada indivíduo que se junta à aula e preparam os iniciantes nos equipamentos de alta tecnologia, o cenário é definido pela música e pela luz. “Um sistema de som de alto nível toma conta da sala e não cria deixa nenhuma área sem cobertura — todos ouvem música da mesma forma”, descreve ela. E há também as 16 diferentes opções de shows de luzes personalizadas "que podem ser acionadas com o toque de um botão para imitar velocidades, emoções e ritmo do treino”.

Para ser realmente envolvente, uma experiência desse nível deve ser projetada com cuidado para refletir uma marca e proporcionar um evento sensorial contínuo. Para ajudar a concretizar a experiência completa, a SculptHouse trabalhou com os designers e tecnólogos de varejo da HighStreet Collective.

SculptHouse | AVIXA

O primeiro passo foi sobre o refinamento da marca SculptHouse e como isso se relacionará com a tecnologia usada para realizar uma experiência no espaço, explica a co-fundadora da HighStreet, Laura Davis-Taylor. “Nós consideramos o papel de uma marca na vida do cliente, como ela difere da concorrência, como ela quer que as pessoas se sintam, todos esses elementos. Primeiro, é necessário compreender isso como sendo seu "Norte Verdadeiro", para que tudo se associe a ela, incluindo o papel da tecnologia”.

O processo foi completo e cuidadoso, mas desde o início, um aspecto da marca SculptHouse estava claro, de acordo com Davis-Taylor: “Quando começamos a trabalhar com Katherine Mason e SculptHouse, o que mais nos impressionou foi sua cordialidade”, lembra ela. “Ela é uma pessoa incrivelmente inspiradora e graciosa, e queríamos captar isso na forma como a experiência foi orquestrada. Grande parte de sua tecnologia já estava em uso, mas trabalhamos juntos para garantir que tudo fosse "cinco estrelas" e cuidadosamente equilibrado com um envolvimento humano de alto nível”.

Para esse fim, a tecnologia da SculptHouse foi implementada com diferentes graus de visibilidade. Ela foi discretamente combinada com a experiência personalizada de check-in centrada no ser humano, mas os elementos técnicos que aumentam a adrenalina e melhoram a configuração do cenário são altamente visíveis na academia, onde o ambiente é adornado com iluminação teatral e música customizada para os treinos. O design da tecnologia “se sincroniza com a inspiração e o engajamento que eles cultivam, e está tudo concentrado no objetivo de fazer com que cada cliente se sinta especial, confortável e bem-vindo”, observa Davis-Taylor.

Os espetáculos de luzes são verdadeiramente teatrais, com um senso de drama criado a partir do momento em que se entra na academia, descreve Mason. Antes de uma aula começar, “a sala é envolvida por um verde neon que faz você se sentir como se estivesse em outro ambiente, talvez até em outro mundo! As máquinas parecem intimidadoras e como algum tipo de equipamento de ginástica futurista, mas o instrutor assegura-se de eliminar todas as preocupações com um começo de aula acolhedor e estimulante. A música preenche a sala e os shows de luzes personalizados começam, produzindo endorfinas através do envolvimento sensorial. A camaradagem toma conta da sala conforme 22 pessoas se exercitam para atingir seus objetivos; o instrutor os motiva, e as luzes e o som os estimulam a ir um pouco além daquilo que eles normalmente seriam capazes de alcançar”.

High SculptHouse| AVIXA

Depois de criar com sucesso uma experiência que estimula as endorfinas e a camaradagem com os fãs de fitness, a SculptHouse começou a se expandir a partir de sua unidade original em Atlanta, abrindo novas unidades em outras regiões da cidade e em outras cidades do sudeste dos Estados Unidos. Em cada novo estúdio, a SculptHouse se voltou para o “Playbook de Experiência”, criado em colaboração com a HighStreet Collective.

O playbook refere-se tanto ao elemento humano quanto à tecnologia usada para realizar a experiência completa, explica Davis-Taylor. “É uma estrutura que usamos para ajudar todos os membros da equipe a conhecerem a marca, saberem como oferecemos uma incrível experiência aos clientes em todos os pontos de interação e nas "Assinaturas Exclusivas de Experiência" que só eles podem ter. Fazemos isso dentro de cada zona de experiência, todas elas tendo uma chamada temática chave - e o papel e o uso adequado da tecnologia são partes integrantes. Isso é fundamental, pois uma de nossas principais crenças é que a tecnologia deve sempre tornar uma experiência muito mais humana, e não substituir o humano”.

Incluído no playbook estão os detalhes para ajudar os gerentes e treinadores do estúdio a escolherem entre os vários programas de iluminação e músicas para se adequarem a diferentes tipos de aulas e até mesmo a diferentes horários do dia. O programa matinal “transmite mais uma ideia de 'vamos trabalhar duro', enquanto à noite parece mais um ambiente de boate”, descreve Davis-Taylor.

Não importa quando um cliente visita a SculptHouse, o Norte Verdadeiro da marca pode ser encontrado em todos os elementos da experiência. E com a integração perfeita da tecnologia, a sensação mais notável é predominantemente humana, trazendo a cordialidade e a conexão social energizante de sua própria equipe de fitness.