• Type: Whitepaper
  • Date: junho 2019

Por Cindy Davis

O Digital Signage evoluiu de painéis que exibem imagens estáticas para aqueles que se integram a tecnologias capazes de capturar perfis de consumidores para enviar conteúdo personalizado, além de reportar e analisar dados selecionados de consumidores para aumentar as vendas. Embora ainda estejam no começo, essas tecnologias integradas são alimentadas pelo big data e pela Internet das Coisas (IoT). Espera-se que o 5G acelere os recursos e a adoção de tecnologias aprimoradas de signage.

Otimismo em relação aos estabelecimentos comerciais tradicionais

Pesquisas do setor de varejo apontam para o ressurgimento de consumidores que fazem compras em lojas físicas, mas advertem que a experiência do cliente na loja requer uma abordagem omni-channel, proporcionando a continuidade da experiência ao longo da jornada do cliente. Isso exigirá que tecnologias de suporte sejam incorporadas.

Parede Interativa da Nu Skin | AVIXA Parede Interativa da Nu Skin

Relatório do Setor de Varejo Omni-Channel de 2019: O relatório "Comportamento de Compra do Consumidor Geracional Entra em Foco" da BigCommerce afirma que “A capacidade de tocar ou experimentar um item antes da compra é a principal razão pela qual os consumidores de todas as gerações fazem compras em lojas físicas nos EUA.”

Em uma reviravolta surpreendente em relação à experiência de compra on-line, as gerações Z e Millennials citam o preço como um grande motivo para fazer compras na loja. E as gerações Z, Millennials e X citam a rapidez e a conveniência como fatores importantes para fazer compras em lojas.

A IoT Permite uma Jornada Holística ao Cliente

Aproximadamente dez anos atrás, Jose Avalos fundou o Digital Signage Group na Intel. Hoje, Avalos é vice-presidente do grupo Internet of Things e Gerente Geral de Soluções Visuais da Intel, responsável por fornecer tecnologias e produtos para plataformas como digital signage, quiosques interativos, vendas inteligentes, quadros brancos inteligentes e estantes inteligentes, entre outros. “Basicamente, minha equipe é responsável por qualquer plataforma que integre o digital signage como um ingrediente e também pela computação que suporta esse tipo de solução”, diz Avalos.

Avalos diz que poder de computação, largura de banda e sensores são o que impulsiona a Internet das Coisas. Tecnologias como visão computacional, análise, inteligência artificial (IA) e 5G são os motivos pelos quais grandes empresas como a Intel estão investindo muito dinheiro. O custo de cada uma dessas áreas caiu vertiginosamente nos últimos anos, dando início a um novo relacionamento entre os varejistas e seus clientes. O que isso significa para o digital signage? "Podemos ver o sistema de digital signage e o sistema pode nos ver", diz Avalos. “Isso é incrível.”

Parede Interativa da Nu Skin | AVIXA Parede Interativa da Nu Skin

“Estamos olhando para uma jornada do cliente que começa em casa e que atravessa todas as plataformas, TVs, dispositivos móveis, web, digital signage e smartphones”, diz Florian Rotberg, diretor administrativo da Invidis Consulting, com sede em Munique, Alemanha. Quer a experiência na loja inclua espelhos inteligentes ou a compra de móveis usando realidade aumentada, “hoje em dia, os consumidores esperam ver essa experiência do usuário”. Conteúdo curado e produtos selecionados estão onde a loja física pode agregar valor.

Não importa onde a loja esteja localizada em todo o mundo, o aspecto digital precisa ser parte integrante do processo de design do varejo, mas com cautela. Por causa do Regulamento Geral de Proteção de Dados (GDRP) e das diferenças culturais em cada um dos países europeus, a experiência digital na loja é um pouco diferente dos EUA, diz Rotberg, mas as tendências são semelhantes. Ele acrescenta que enquanto o reconhecimento facial é amplamente aceito na China, "ele é absolutamente inaceitável aqui [Alemanha]".

Para atrair um consumidor para uma loja, a experiência digital deve tornar as compras mais interessantes, mais interativas, mais envolventes, mais emocionantes, diz Thomas Walter, Desenvolvimento de Negócios e Produtos Estratégicos da NEC Display Solutions Europe. "Mas antes de tudo, o conteúdo do digital signage deve ser relevante".

Stephen Choi, Diretor da North America Displays na Samsung Electronics America, concorda. Você não só pode apresentar conteúdo dinâmico relevante com imagens de alta visibilidade em digital signage, como também pode acrescentar um componente interativo. "Um consumidor pode tocar o conteúdo na tela e sobrepor virtualmente uma foto de si mesmo para ver se a camisa azul ficaria melhor do que a camisa verde com a calça cáqui", acrescentou.

Mas essas experiências com o consumidor são apenas entretenimento se não houver coleta de informações importantes.

O Big Data Completa a Jornada do Cliente

Até cerca de três anos atrás, os varejistas não conseguiam calcular o ROI do digital signage, o que dificultava as vendas da categoria. Hoje o digital signage, juntamente com sensores, câmeras e outras tecnologias pode fornecer dados selecionados do cliente, permitindo que os varejistas analisem o comportamento e se tornem parte da jornada holística do cliente . “Sistemas analíticos oferecem às marcas a oportunidade de terem esse diálogo contínuo com os consumidores para entenderem quais produtos e serviços desenvolver e que estarão em sintonia com as necessidades e desejos do consumidor”, diz Avalos, da Intel. A pesquisa da Intel menciona que 80% das marcas relatam um aumento significativo de vendas de oportunidade ao usar digital signage.

Vestíbulo da Nu Skin | AVIXA Vestíbulo da Nu Skin

Empresas de big data, assim como fabricantes de displays usados em digital signage como NEC, Samsung, Sharp e outras, foram rápidas em fornecer plataformas integradas para seus clientes para coletar dados e, o mais importante, tomar decisões de business intelligence baseadas em informações analíticas.

Envolver-se com os clientes através de conteúdo inteligente, automatizado e personalizado, levando a uma venda com base em dados coletados é o Santo Graal.

Em um exemplo simplificado: um cliente pega um par de sapatos vermelhos e um sensor transmite informações para o display, para fornecer mais informações sobre o produto, esperando-se que isso resulte em uma venda. "Neste caso, o digital signage está se transformando de uma propaganda ou ferramenta de informação para uma ferramenta holística de marketing e troca. E acho que isso é muito importante", diz Walter, da NEC. O digital signage agora está se juntando ao comprador ao longo de toda a jornada, ajudando-o a tomar uma boa decisão. "Isso ajuda os profissionais de marketing a entenderem mais rapidamente qual campanha está funcionando e quais produtos estão sendo vendidos". Além disso, os dados podem ajudar a fazer o inventário do estoque e impulsionar a venda de outros produtos. "Se o cliente comprou sapatos vermelhos, poderia gostar de camisetas ou óculos escuros vermelhos".

Os dados coletados por meio da inteligência artificial combinados com plataformas analíticas estão preparados para transformar completamente a jornada do cliente e a influência que um varejista pode ter nessa jornada. “Do nosso ponto de vista, a experiência toda de IA digital otimizará a experiência de compra do consumidor, aprimorará as operações de negócios, fornecerá coleta de dados, informações analíticas, visitas a clientes, publicidade, picos de vendas, hora do dia, efeitos climáticos no local de uma determinada loja e por fim a otimização de conteúdo ”, diz Choi, da Samsung. "E tudo isso está ligado ao mecanismo de aplicações analíticas".

Pense de Forma Ágil

Em 2020, deverá ocorrer o lançamento do 5G. Com velocidades até 1.000 vezes mais rápidas do que o 4G pode oferecer hoje, os consumidores e varejistas terão a capacidade de interagir de forma contínua e proativa. O 5G será um implemento importante, ratificando o acordo para as tecnologias que permitem que o digital signage se torne um componente ativo da jornada do cliente.

A implementação de uma abordagem omni-channel para comercializar e tirar vantagens de um ecossistema que fornece dados acionáveis em tempo real durante a jornada do cliente é fundamental para que os varejistas continuem competitivos no cenário atual.

Relatório Sobre Dados do Comprador, 2019: No relatório "Como Criar uma Troca de Valores em Tempo Real na Loja", a empresa de plataforma de business intelligence PSFK afirma: “Para ficar à frente da concorrência, elimine as barreiras dentro de sua organização e certifique-se de que todas as partes relevantes tenham acesso aos dados e a capacidade de agir de acordo. Capacite os funcionários em todos os níveis, desde o Gerente de Marketing até os atendentes da loja, para identificar e atuar nas oportunidades identificadas por meio das informações analíticas para criar inovações no varejo. ”